40 anos Futura Tintas – Capítulo 38: Afuturar Turma 3

De volta para Posts

40 anos Futura Tintas – Capítulo 38: Afuturar Turma 3

Se para muitos dos participantes do Afuturar, expor suas opiniões abertamente era um exercício não tão simples, fazer isso diante de um líder era ainda mais difícil. Principalmente para a Turma 3, onde o próprio Ricardo era aluno e estava junto com todos nas duas semanas de aprendizado. Líder da Futura Tintas e idealizador da Universidade (ainda vamos dedicar um capítulo todo a ele), sua participação não inibiu os participantes, pelo contrário, contribuiu para elevar o nível das argumentações.

40 anos Futura Tintas – Capítulo 38: Afuturar Turma 3Sentado bem na primeira carteira da roda, teve como colega ao lado o Tiago, um colaborador que está na Futura há 15 anos. Tiago fez uma linda trajetória de crescimento na empresa, começou como chapa e hoje é analista de suprimentos, um dos braços direitos de sua líder Anézia. Disse que está orgulhoso com as evoluções pessoais que fez durante a pandemia e está tentando ser mais comunicativo. Na turma não se intimidou com a presença do vizinho ilustre e expôs todos os seus sentimentos e suas opiniões com clareza e muita sinceridade.

Outro participante, o André, há 9 anos na Futura, entrou como auxiliar de recebimento e hoje é um dos líderes da linha de produção. Veio com toda esperança para o Afuturar, buscando aprender mais, se desenvolver mais e ganhar força para enfrentar os desafios da nova função. André foi educador solidário por cinco anos na Universidade  e falar de cliente era seu tema predileto.

Fernando Lima, 5 anos de Futura Tintas, atualmente coloridor de negócio e um dos mais apaixonados pelo nosso colorir vidas, aproveitou o Afuturar para se entrosar com colaboradores da fábrica, entender os ritmos e contar um pouco de como o trabalho de cada um de nós é percebido pelo cliente lá fora.

Com esse mesmo objetivo de conhecer colegas com quem não convive muito e poder entender os diferentes aspectos da Futura, veio a Ane, da Central de Apoio ao Pintor. Ane chegou na Futura há 3 anos, com uma grande habilidade com implantação de sistemas, e seu desafio maior é trazer os pintores para nova realidade digital. Todo pintor formado na Universidade ganha acesso a uma plataforma de elaboração de proposta de serviço, orçamento e gestão financeira, e Ane cuida constantemente da instrução e inclusão dos pintores nessa nova onda digital.

Reginaldo, 13 anos de Futura, entrou no Afuturar meio tímido mas com muita vontade de aprender. Aos poucos foi mostrando seu lado mais animado. Reginaldo tem um papel muito importante nessa fase da vida da Futura, é responsável pela manutenção e terá papel importante nas mudanças que estão por vir.

Diego trouxe para turma sua personalidade questionadora e contestadora. Há 10 na Futura, participou ativamente de todas as discussões, defendeu seus pontos de vista e jogou luz em algumas situações.

No contraponto, Tínhamos a Márcia, eleita pelo grupo como a Guru do Amor. Na Futura desde 1997, Márcia já presenciou tantas mudanças, tanta evolução e tanta superação que seus olhos são treinados para olhar o lado bom e buscar sempre a melhor forma de contribuir, seja qual for a situação.

E claro que ainda há muitos outros gurus do bem na Futura: como o Sérgio, que trabalha na Futura há 17 anos e é um dos poucos que pode dizer que já passou por todas as áreas. Hoje é colorista e fala disso com uma grande satisfação, sente que está colhendo o que plantou. Sérgio é amigo, bom conselheiro e tem um dom como poucos, saber ouvir. Muitos colegas declaram que algumas vezes só uma conversa com o Sérgio é o suficiente para aliviar o coração.

O time dos questionadores e bons argumentadores contava também com a Aninha, uma mulher muito perspicaz que vive um grande desafio no dia a dia profissional. Dos 14 anos que tem contribuído ativamente para o desenvolvimento da área de cores personalizadas da Futura, há 3 anos assumiu o SAC e de lá pra cá vem aprendendo e se desafiando a se conectar com pessoas.

Em toda primeira aula, os mais antigos de casa recebiam homenagens de  familiares e amigos, e Alex, que completou recentemente 11 anos de Futura Tintas, teve a alegria de receber uma linda homenagem de sua esposa com quem é casado há 22 anos. Seu grande desafio no Afuturar era vencer a timidez e acabou conseguinho mostrar seu lado alegre e contributivo para o time.

Para os mais novos de casa, entrarem numa turma desse quilate poderia ser uma armadilha ou uma baita oportunidade. Fernando, recém chegado ao time da expedição, agarrou como oportunidade e participou ativamente mostrando um repertório interessante e uma grande capacidade de trabalhar em equipe.

Renato dizia ser o mais grato e mais o feliz pela oportunidade. Poucos dias após começar trabalhar, passou por uma grande provação: o Covid o levou para o hospital e o enfraqueceu de tal forma que, em alguns momentos, achou que perderia essa luta. Mas agora, com todas as suas forças revigoradas, veio para mostrar toda sua capacidade de recomeçar.

Rafinha, um doce de menino, como foi apelidado pelos colegas. Queria ter seguido o caminho dos irmãos e ser caminhoneiro, mas para sorte do nosso time, os irmãos não o incentivaram nessa empreitada. Antes de entrar na Futura, teve um percurso difícil, mas em nosso processo seletivo foi um dos escolhidos e pretende ficar por muito tempo.

Rivelino também é recém chegado, 1 ano e 3 meses de Futura. Veio do setor da metalurgia, mas não é só o ramo que é uma novidade pra ele. O clima na Futura, essa reunião de competências para alinhar a cultura e desenvolver aprendizados, é pra ele a maior e mais valiosa novidade.

Arnaldo, completou recentemente 2 anos de Futura. Deu muito valor para todo o aprendizado, foi participativo, mas declarou nunca antes ter pegado em um microfone. Mergulhou como um menino na aula de tecnologia, criada para mostrar que as evoluções nunca vão parar e devemos nos preparar

Nilson, um dos químicos do laboratório, chamou a atenção na atividade de apresentação da sua história, mostrando-se um filho dedicado, que combinou também com seu comportamento super participativo em aula.

Edinaldo, com apenas 11 meses de Futura, diz que a vida é um ensinamento e oportunidades como essa devem ser muito bem aproveitadas. Com seu jeito quieto, nos mostrou um coração forte que já passou muita tristeza. Perdeu a esposa muito nova, enfrentou anos de desemprego e incontáveis dificuldades, mas nunca perdeu a fé e nem corrompeu seus valores. Compartilhou com a gente muitas experiências e se tornou um exemplo de força e persistência.

Todas as situações vividas com a turma 3, nos lembraram de uma analogia interessante sobre união e unidade, feita certa vez por uma colaboradora que fez parte do time.  Certos ou errados, opiniões contra ou a favor, compreendendo ou só entendendo, estamos juntos e cada um contribuiu muito com nossa história.

Compartilhar este post

De volta para Posts